Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Pandemia impactou serviços na saúde suplementar

Pandemia impactou serviços na saúde suplementar

Novembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Os efeitos da pandemia de Covid-19 no setor da saúde são evidentes no atendimento médico-hospitalar no comparativo entre os resultados de 2019 e 2020. A “Análise Especial do Mapa Assistencial da Saúde Suplementar no Brasil entre 2015 e 2020”, produzida pelo IESS, indicou queda nos serviços dos principais grupos de assistência aos beneficiários de planos de saúde.

No intervalo analisado, o resultado mostra retração no número de consultas médicas (-25,1%); terapias (-23,7%) – como hemodiálise, quimioterapia etc.; outros atendimentos ambulatoriais (-17,4%); internações (-14,7%); e, exames complementares (-14,6%). Também houve redução de 7,2% nas despesas dos serviços assistenciais: de R$ 179,4 bilhões para R$ 164,8 bilhões.

A análise do IESS mostrou também que o período de isolamento e o medo de contágio pela Covid-19 afastou os beneficiários do acompanhamento médico. Esses fatores podem estar associados ao aumento de internações por infarto agudo do miocárdio (15,2%), insuficiência cardíaca congestiva (9,8%) e diabetes (6,7%).

Contudo, apenas em longo prazo será possível avaliar com maior precisão os impactos na saúde dos beneficiários com a diminuição da assistência médica regular, especialmente em relação às doenças crônicas. Para acessar a análise completa, clique aqui.

Este conteúdo foi útil?