Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Número de internações hospitalares tem queda na saúde suplementar

Número de internações hospitalares tem queda na saúde suplementar

Novembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Um dos efeitos da pandemia de Covid-19 no Brasil foi a redução do número geral de internações hospitalares na saúde suplementar. Em 2020, foram realizados quase 7,3 milhões desses procedimentos, número 14,7% menor em comparação com 2019. Já no intervalo entre 2015 e 2020, do total de internações, 3,2 milhões foram clínicas (44,4%), 2,9 milhões cirúrgicas (40,1%) e 637 mil obstétricas (8,7%). Os números são da “Análise Especial do Mapa Assistencial da Saúde Suplementar no Brasil entre 2015 e 2020”, produzida pelo IESS com dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Após a chegada da pandemia, as principais quedas em internações de acordo com a causa principal ocorrem nos casos de:

  • Tratamento cirúrgico de câncer de próstata: -24,3%;
  • Doenças do aparelho respiratório: -24,1%;
  • Tratamento cirúrgico de câncer de colo de útero: -23,7%;
  • Câncer de colo de útero: -22,8%;
  • Tratamento cirúrgico de câncer de mama feminino: -19%.

As reduções para os procedimentos voltados para o combate ao câncer devem ser analisadas com cautela, pois podem impactar a saúde de homens e mulheres nos próximos anos. Sendo assim, campanhas como o Outubro Rosa e o Novembro Azul são essenciais para conscientizar a população da importância dos cuidados com a saúde como um todo.

Além disso, a análise do IESS apontou que o período de isolamento e, consequentemente, com menor acompanhamento médico elevou o número de internações de doenças relacionadas ao coração:

  • Internação por infarto agudo do miocárdio: +15,2%;
  • Internação por doença cerebrovascular: +14,8%;
  • Acidente vascular cerebral: +12,8%;
  • Insuficiência cardíaca congestiva: +9,8%;
  • Internação por diabetes mellitus: +6,7%.

Por fim, é esperado que com o avanço da imunização e a flexibilização das medidas restritivas, a queda no número de internações registrada em 2020 seja revertida. Veja a íntegra da análise aqui.

Este conteúdo foi útil?